Galafura

Este blog não consiste só em falar da Freguesia de Galafura, mas não podia deixar de referênciar a freguesia que amo muito e de onde sou natural. O nome do blog " Galafura" é por isso mesmo, pela naturalidade, pelos amigos, pelos sentimentos que me vão na alma, editarei aqui os meus pensamentos e sentimentos que nutro pela minha terra, pela minha família, pelos meus amigos, e pelo meu estado de espírito do meu dia-a-dia

domingo, setembro 10, 2006

Guia Dos Meus Passou, Mãe Das Minhas Dores

Confesso já não ir à missa com a frequência que costumava ir, se calhar por andar um bocado a leste, descrente perante certas e determinadas situações, dúvidas e interrogações constantes que me iam e vão aparecendo. O outro dia passei por Fátima à procura de explicações tentei reencontrar o que tinha perdido. Conheci pessoas fantásticas, uma em particular a quem devo agradecer, através dessa pessoa e das palavras que me transmite, acordei o que tinha em mim adormecido, acendeu-se de novo em mim a luz que se estava a apagar. OBRIGADO AMIGO Voltei a fazer o que costumava realizar todos os domingos, hoje fui à missa ouvir o que o meu Senhor me tinha para dizer. A igreja onde fui orar foi a primeira vez que nela entrei, nos meus olhos uma e outra lágrima caíam percorrendo o meu rosto, não eram lágrimas de tristeza, mas sim lágrimas de esperança e de agradecimento. Entrei na casa do Pai, não via nada à frente, o meu olhar encharcado fixou-se no passado relembrando-me tudo o que tenho sido até aqui, os meus ouvidos escutavam as palavras do meu Deus proferidas pelo Prior, estava em profunda oração. Regressei ao presente! Interrompido por uma criança que ao colo da mãe, perguntava porque a Senhora estava chorar. Não me apercebi de quem era a Senhora, tentei seguir a criança e as indicações que dava… Foi então que reparei na Senhora, era Nossa Senhora das Dores… Seria destino meu ou mera coincidência quando olho para o lado oposto e vejo a imagem dum senhor sangrando carregando a sua e minha cruz, tanto sofrimento, era o Senhor dos Passos. Dou por mim então entre as duas imagens, à minha direita Senhora das Dores, à minha esquerda Sr. Dos passos…Seria o meu Deus a querer manifestar-se em mim, a tentar dizer-me algo? Fixei aquelas duas imagens como outras não existissem. Quem nunca se manteve preso e com sentimento perante a imagem do Sr. Dos Passos ou perante olhar em lágrimas e as espadas cravadas no peito de Nossa Senhora das Dores? Foi assim que me senti, preso, agarrado ao olhar triste da Senhora e ao carregar da cruz do Senhor. Foi aí que descodifiquei a mensagem do Meu Senhor, vi que ao longo da minha vida, o Senhor vai sempre comigo, senti que não carrego a minha cruz sozinho, e que as minhas dores são bem mais pequenas em dias de maior agonia.

4 Comments:

  • At 9:47 da manhã, Anonymous Eremita said…

    Como cristã também estive muitos anos ausente da Igreja...um dia retornei como na parábola do filho pródigo,dentro ou fora dela está sempre o abraço misericordiso do Pai que nunca nos abandona.É preciso é mantermos a chama da fé sempre acesa.
    Abraços

     
  • At 1:17 da tarde, Blogger Andante said…

    Bonito momento de oração.
    Não esteveste ausente, estiveste distraído...

    Abraços peregrinos

     
  • At 2:01 da manhã, Anonymous olheoceu said…

    sei q é meio conformista, mas uma amiga sempre diz... olha difícil é caminhar com Deus, mas sem ele é pior...
    caminha conosco
    bj
    babi

     
  • At 7:54 da tarde, Blogger nahar said…

    tens uma profundidade muito grande zé. bonito orar enquanto os nossos olhos contemplam estas imagens...

    obrigado por este momento

     

Enviar um comentário

<< Home